Notícias

TRABALHADORES DO BRADESCO QUE ESTÃO EM CASA E NÃO ESTÃO EM TELETRABALHO SERÃO COLOCADOS EM FÉRIAS

Banco respondeu uma série de questionamentos dos bancários em reunião com a coordenação do Comando Nacional e a COE


 

A coordenação do Comando Nacional dos Bancários e a Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Bradesco se reuniram, na tarde desta sexta-feira (17), com representantes da direção do banco para discutir a situação dos bancários durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

O principal ponto da pauta foi o questionamento sobre os trabalhadores que estão em casa e não estão em teletrabalho, como os do grupo de risco, cujas atividades profissionais não podem ser feitas de casa.

O banco disse que pretende usar o saldo de férias vencidas, as férias vencidas e trabalhar com períodos aquisitivos a vencer. Até a semana que vem, as diretorias regionais vão divulgar o mapeamento do quantitativo elegível às férias. Existem áreas do banco que estão inativas ou que as atividades caíram muito, como financiamento de carros, que serão envolvidas em maior número.

A COE reivindicou não utilizar todo o saldo de férias para que o trabalhador tenha saldo para descanso no pós-pandemia. O banco se comprometeu a usar, no máximo, 20 dias de férias.

O Bradesco anunciou ainda que fará o pagamento de 1/3 das férias.


Outras reivindicações


Os representantes dos trabalhadores levaram denúncias sobre o congestionamento do Lig Viva Bem, canal de contato dos bancários com o banco, principalmente, referente ao novo coronavírus. O Bradesco irá reforçar o trabalho para evitar o congestionamento e deu como alternativa o telefone para tirar dúvidas sobre o Coronavírus: 0800-941-63-61.

A COE e o Comando Nacional reforçaram a preocupação sobre o funcionamento dos PABs em hospitais e cobraram o fechamento, devido ao alto índice de profissionais de saúde e trabalhadores de hospitais contaminados. O banco tem estudado caso a caso e analisará a questão para dar um retorno à representação dos trabalhadores.

O movimento sindical ainda cobrou o reforço da orientação aos regionais e gestores para que não cobrem metas de suas áreas, agências e funcionários.

“É importante a gente manter esse canal de diálogo para fazermos o possível e o impossível em busca das melhores soluções para os trabalhadores do banco. Este é o momento de nos unirmos para enfrentarmos esse inimigo comum”, afirmou Magaly Fagundes, coordenadora da COE Bradesco.

Fonte: Contraf-CUT


 

Publicado em: 17/04/2020

Entidades Filiadas

FETRAFI-MG

CONTRAF

CUT Brasil

Jornal

CEF - Carta Aberta a população

Download

Links importantes