Notícias

Eleições da Funcef começam nesta quinta-feira (22). Sintraf T.O e Região e Contraf-CUT apoiam a Chapa 1 - A Funcef é dos participantes.
A votação para os Conselhos Deliberativo e Fiscal será realizada de forma virtual

As eleições da Funcef 2020-2021 para os Conselhos Deliberativo e Fiscal começam nesta quinta-feira (22), às 11h. O pleito vai até 18h do dia 24. A votação será feita de maneira on-line no autoatendimento, no site ou aplicativo da Fundação. Nele já estão todas as informações sobre o processo. O acesso será por CPF e senha pessoal do eleitor.

Caso o pleito eleitoral seja definido em primeiro turno, a posse poderá ocorrer até 13/08/2021. O segundo turno das eleições está previsto para ocorrer de 3 a 5 de agosto. 

Como recuperar senha do Autoatendimento 

O processo das eleições da Funcef é simples. Basta entrar no Autoatendimento, no site ou aplicativo da Fundação, inserir o CPF, data de nascimento e responder as perguntas solicitadas pelo site a partir do cadastro na Funcef. Caso não se lembre da senha de acesso, saiba, no próprio site da Fundação o passo a passo de como recuperá-la. Veja também o tutorial de como criar uma senha, caso esteja acessando o Autoatendimento pela primeira vez. Clique aqui para assistir o vídeo de como recuperar ou cadastra a senha no Autoatendimento. Para outras dúvidas, ligue para 0800 706 9000, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, exceto feriados.  

Quem pode votar?

Estão aptos para votar os participantes ativos e os maiores de 18 anos com benefício vitalício, que tenham se inscrito até 31 de janeiro de 2020 em planos de benefícios administrados pela Funcef. Nas situações em que exista mais de um assistido, cujo benefício tenha tido o mesmo participante ou assistido por origem, será considerado eleitor o beneficiário mais idoso. 

Sintraf T.O e Região e Contraf-CUT apoiam a Chapa 1 – A Funcef é dos Participantes 

O Sintraf T.O e Região e a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) apoiam a Chapa 1 – A Funcef é dos Participantes. “Diante da conjuntura atual e de um panorama político marcado por retiradas de direitos, retrocessos, enfraquecimento e ameaças constantes das empresas públicas, o terceiro maior fundo de pensão do país também se encontra ameaçado. Os últimos acontecimentos que envolveram a atual gestão da Fundação foram caracterizados pela tentativa de eximir a representatividade dos participantes, com impugnação de candidatos que representam os verdadeiros donos dos recursos, os participantes”, afirmou Juvandia Moreira, presidenta da Contraf-CUT.

“Mais uma vez precisamos resistir a estes fortes ataques. E apoiamos a Chapa 1 – A Funcef é dos participantes, que além de ter colegas comprometidos, representa um projeto maior que passa pelo fortalecimento da própria fundação, de luta coletiva dos empregados da Caixa, do banco 100% público e dos direitos dos participantes e assistidos”, completou Fabiana Uehara Proscholdt, secretária da Cultura da Contraf-CUT e coordenadora da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/ Caixa). A Chapa 1 defende os princípios da transparência e respeito, governança participativa e diversidade nos espaços deliberativos do Fundo de Pensão.

Live apresenta Chapa 1

Em live de apresentação das propostas e candidatos para o Conselho Deliberativo e Fiscal da Funcef, realizada na última quinta-feira (15), a Chapa 1 – A Funcef é dos participantes destacou a importância de uma gestão com mais transparência e governança, que represente a voz dos participantes. Mediada por Rogério Vida, presidente da Agecef/BH e membro do Conselho Deliberativo da Fenag, os candidatos apresentaram propostas como o fim do equacionamento, quebra da paridade, contencioso, entre outras demandas.

Ao responder o tema sobre o equacionamento, em relação às contribuições extraordinárias que os participantes vêm pagando, o candidato titular do Conselho Deliberativo, Nilson Moura, disse que é compromisso da Chapa 1 lutar pelo fim do equacionamento e para isso acontecer deve haver a união de importantes fatores, tais como a aplicação da Resolução 30 do Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC), resgatar a questão sobre cobrar da Caixa o contencioso e diversificar a política de investimentos, aumentando as chances de maximizar a rentabilidade dos ativos e reduzir os riscos.

Nilson também afirmou, em sua apresentação, que uma das propostas da chapa é a construção de um canal de diálogo entre os participantes e os eleitos. “Seremos um canal de mão dupla, com amplo debate para resolver os problemas da Fundação”.

Heitor Menegale, candidato titular do Conselho Fiscal, avaliou que com a colaboração dos participantes, certamente, a gestão pode atingir objetivos que são de extrema importância, sendo que um deles é o fim do equacionamento. “O que vemos hoje são respostas técnicas e diagnósticos sombrios, e não se dá margem para que mais de 130 mil participantes possam contribuir com sugestões para se chegar a uma solução a respeito dos obstáculos técnicos apresentados atualmente. Não é possível, que depois de tanto tempo das pessoas contribuindo esperando o dia de ter uma maior tranquilidade em certa fase de sua vida, e neste momento ela tenha insegurança e sofrimento”, disse Heitor, que também avaliou sobre a questão do contencioso, onde lembrou que num passado recente o último conselheiro eleito já deixou um voto para que se cobrasse da Caixa a questão do contencioso e isto está engavetado, mas a Chapa 1 tem o compromisso de resgatar este voto e esta discussão.

Heitor também afirmou que os quatro candidatos da Chapa 1 não estarão sozinhos caso sejam eleitos e que entrarão com um ‘cavalo de troia’ na Funcef. “Não seremos apenas quatro pessoas nos conselhos deliberativo e fiscal, seremos mais de 130 mil participantes neste importante espaço de decisão da Fundação. Com todo cuidado técnico ouviremos todos os participantes, para atuar juntos em todas as questões que envolvem os conselhos”.

Sobre a incorporação do REB ao Novo Plano, a candidata suplente do Conselho Deliberativo, Maria Gaia, disse que o REB atualmente tem cerca de 12 mil participantes (da ativa e aposentados) que estão tendo prejuízos, visto que não conseguem entrar para o Novo Plano apesar de, desde 2014, já ter sido aprovado em todas as instâncias da Caixa e Funcef a incorporação do REB ao Novo Plano e até hoje está engavetado. “Nosso compromisso é o de reparar esta injustiça que alguns participantes estão sendo vítimas e temos que pressionar a direção da Caixa para que faça isso da forma como foi aprovada em 2014, que foi amplamente discutida com as entidades representativas e em congressos com os empregados da Caixa”, ressaltou Gaia.

O candidato suplente do Conselho Fiscal, Valter San Martin Ribeiro, ao falar sobre a discussão da quebra da paridade disse que deve ser anulada a assinatura do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), que foi feita em 2017 pelos diretores indicados e eleitos, onde alegaram que o ato havia sido feito em virtude de provável intervenção da Previc. “Temos discordância com este posicionamento e pretendemos retomar e esclarecer esta questão para reparar outra injustiça que está sendo cometida na Funcef”, esclareceu Valter que também ressaltou sobre o propósito principal da Chapa 1- A Funcef é dos Participantes. “Este nome não surgiu por acaso, surgiu de uma discussão muito profunda, em que os verdadeiros donos do patrimônio do terceiro maior fundo de pensão são os participantes”, concluiu. 

Serviço – As biografias dos candidatos da Chapa 1 a Funcef é dos Participantes estão nas redes sociais da chapa.

Fonte: Contraf-CUT, com informações da Fenae


 

Publicado em: 22/07/2021

Eventos


Nenhum conteúdo disponível no momento.


Jornal

O Espelho - Edicao Especial (02.2021)

Download

Entidades

FETRAFI-MG

CONTRAF

CUT Brasil

LINKS IMPORTANTES