Notícias

Deputado cobra anulação de operação entre BB e BTG Pactual

Psol quer que o Banco do Brasil responda questões não respondidas sobre venda de carteira de créditos do banco para o BTG Pactual e prepara uma representaçã


 

Em entrevista ao programa Boa Noite 247, o deputado Glauber Braga (Psol-RJ) denunciou, nesta terça-feira 1º, uma suspeita operação realizada pelo Banco do Brasil, que vendeu uma carteira de créditos que vale cerca de R$ 2,9 bilhões ao banco privado BTG Pactual por apenas R$ 300 milhões. O deputado disse ainda que seu partido (Psol) entrará com uma ação junto ao Ministério Público Federal para solicitar o desfazimento da operação. O ministro da Economia, Paulo Guedes é um dos sócios-fundadores do BTG Pactual.


“Não é um trocadinho, são R$ 2,9 bilhões sendo entregues sem concorrência por R$ 300 milhões ao banco que Paulo Guedes foi sócio fundador”, disse o deputado.


Informações não chegam


Glauber Braga lembra que a bancada do Psol já havia enviado um requerimento ao Banco do Brasil cobrando explicações sobre a operação em julho, mas não obteve todas as respostas. “Não poderia o próprio Banco do Brasil fazer a recuperação desses créditos? Se tinha que entregar para outra empresa privada, qual foi o motivo de não se realizar uma licitação”, disse o deputado ao listar algumas das questões que não foram respondidas.


Segundo Glauber Braga, o banco informou que houve uma competição simplificada. “Mas, aparentemente, quem ficou sabendo foi só o BTG Pactual e as entidades citadas pelo governo, o que indica um direcionamento da operação”, observou.


Anulação da operação


“O Psol formulou hoje um novo pedido com a complementação do que eles não mandaram. Além disso, vamos entrar com representação pedindo o desfazimento da operação jurídica e a responsabilização dos agentes, que podem ter cometido crime de improbidade administrativa e responsabilização de natureza penal”, detalhou o deputado.


Glauber Braga também comentou a censura imposta pelo banco BTG Pactual contra o jornalista Luis Nassif, editor do site GGN. Por meio da Justiça, o banco conseguiu a determinação da retirada de todas as matérias publicadas pela página a respeito da operação. “A gente não pode aceitar essa censura ao Luis Nassif como fato consumado. E aquilo o que ele disse temos que repercutir e denunciar”, solidarizou-se.


Veja abaixo o vídeo com o trecho da entrevista de Glauber Braga ao Boa Noite 247.


Fonte:
Contraf-CUT


 

Publicado em: 03/09/2020

Entidades Filiadas

FETRAFI-MG

CONTRAF

CUT Brasil

Jornal

CEF - Carta Aberta a população

Download

Links importantes