Notícias

Assembleia virtual sobre as propostas dos bancos começa às 20h deste domingo, 30

Link para votação estará na Aba Eventos


 

Após diversas rodadas de negociação em que os bancos tentaram retirar direitos da categoria bancária, a Fenaban, a CAIXA e o Banco do Brasil apresentaram novas propostas nesta sexta-feira, 28. A pressão dos trabalhadores garantiu direitos previstos na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) e nos acordos coletivos, assim como reajuste para 2020 e 2021.


Bancárias e bancários realizam Assembleia virtual para deliberar sobre as propostas entre as 20h do domingo, dia 30 de agosto, e as 23h59 de segunda-feira, 31 de agosto. O link estará disponível no site do Sindicato na aba EVENTOS.


Antes da Assembleia, também neste domingo, 30, o Sindicato realizará um bate papo, às 19:00 horas através do aplicativo Google Meets. Acesse clicando aqui.

Acesse aqui a minuta da CCT na íntegra.


Acesse aqui a minuta da CCT sobre a PLR na íntegra.



Propostas

Para 2020, os bancos propõem reajuste de 1,5% para salários mais abono de R$ 2 mil. E ainda a reposição da inflação – estimada em 2,74% no período – para as demais verbas, como vales alimentação e refeição e auxílio-creche/babá. Na PLR, os valores serão corrigidos este ano pela variação da inflação pelo INPC.


O reajuste de 1,5% nos salários + abono de R$ 2.000,00 para todos este ano garante, em 12 meses, valores acima do que seria obtido apenas com a aplicação do INPC para salários até R$ 11.202,80, o que representa 79,1% do total de bancários. Isso já considerando o pagamento de 13°, férias e FGTS.


Para 2021, a proposta prevê a reposição do INPC acumulado na data base e aumento real de 0,5% para salários e demais verbas como VA e VR, assim como para os valores fixos e tetos da PLR. A proposta prevê, ainda, a manutenção de todas as cláusulas da CCT por dois anos, o que dá segurança para a categoria no atual contexto de retirada de direitos dos trabalhadores.


Bancárias e bancários também conquistaram a incorporção de cláusula sobre a violência doméstica contra mulheres na CCT.


PLR


Após a Fenaban tentar reduzir a PLR, a categoria conquistou nas negociações a manutenção nos moldes atuais, com reposição da inflação – INPC estimado em 2,74% – para os valores fixos e tetos.


Com a manutenção da regra e a atualização nos valores fixos e tetos, entre a primeira proposta e a atual, a PLR média estimada a ser paga nos três maiores bancos privados (Itaú, Bradesco e Santander) teve um acréscimo de 12,2% para o piso de escriturário e 9,4% para o piso de caixa.


CAIXA


Todos os direitos do Acordo Coletivo de Trabalho e da Convenção Coletiva de Trabalho foram mantidos.


Reajuste 


Conforme negociado na mesa única da Fenaban


Proposta inicial: Reajuste ZERO


Proposta final: 2020: Reajuste de 1,5% para salários + abono de R$ 2 mil para todos. Garante em 12 meses valores acima do que seria obtido apenas com a aplicação do INPC para salários até R$ 11.202,80, o que representa 79,1% do total de bancários (isso já considerando o pagamento de 13°, férias e FGTS). INPC sobre VR, VA, auxilio creche/babá, valores fixos e tetos da PLR.


2021: Reposição da inflação + 0,5% de aumento real para salários e demais verbas, como VA, VR, auxílio-creche, valores fixos e tetos da PLR.


PLR e PLR Social


Proposta inicial: PLR Social ameaçada por conta de limitações junto à Sest (Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais).


Após negociação: mantida PLR modalidade Fenaban como no acordo atual e PLR Social, com distribuição linear de 4% do lucro (mínimo de uma remuneração base e máximo de três) com teto de 3 remunerações.


Saúde Caixa


Como a CAIXA queria:

  • Impor o teto de 6,5% para despesas da Caixa com o plano, acabando com a proporção 70/30 e implementando o 50/50.

  • Individualização dos tetos de mensalidades e coparticipação.

  • Plano fechado para novos empregados.

  • Reajustes maiores para usuários por conta do teto de 6,5%.


Fonte: GESAP/Caixa


Como ficou após as negociações:

  • Teto de 6,5% não aplicado até, no mínimo, janeiro de 2022.

  • Manutenção da proporção 70/30 no modelo de custeio.

  • Teto de coparticipação e mensalidade por grupo familiar.

  • Garantia de que, após janeiro de 2022, qualquer alteração no modelo de custeio exige consenso no GT Saúde Caixa.

  • Inclusão de novos empregados, inclusive os PCDs contratados após 2018.

  • Reajustes menores para que a proporção de 30% das despensas assistenciais seja alcançada pelos usuários.

  • As férias poderão sem parcelas em até 3 vezes, a critério do empregado.

  • Possibilidade de flexibilizar o intervalo de almoço em mínimo 30 min e máximo de 2h pra quem tem jornada de 8 horas

  • Manutenção das ausências permitidas
  • Grupo de Trabalho do Saúde Caixa pra decidir por consenso a sustentabilidade do plano

  • Grupo de Trabalho Saúde do Trabalhador

  • Exigência de negociação antes de qualquer reestruturação

  • A promoção por mérito pode chegar até dois deltas, ano base 2020 e 2021, com aumento em cada ano de 4,6% (incorporado ao salário)

  • Vedação do descomissionamento de gestantes

 

Banco do Brasil


Reajuste:
 conforme negociado na mesa única da Fenaban


Proposta inicial: reajuste ZERO


Proposta final: 2020: Reajuste de 1,5% para salários + abono de R$ 2 mil para todos. Garante em 12 meses valores acima do que seria obtido apenas com a aplicação do INPC para salários até R$ 11.202,80, o que representa 79,1% do total de bancários (isso já considerando o pagamento de 13°, férias e FGTS). INPC sobre VR, VA, valores fixos e tetos da PLR.


2021: Reposição da inflação + 0,5% de aumento real para salários e demais verbas, como VA, VR e auxílio-creche.


Todos os direitos da Convenção Coletiva de Trabalho e do Acordo Coletivo de Trabalho foram mantidos


PLR


Proposta inicial: Redução da distribuição do lucro líquido (parcela linear) para 2%


Após negociação: Mantida PLR como está no acordo atual (4% lucro líquido mais 45% salário, mais módulo variável determinado pelo Banco do Brasil por semestre


GDP

Proposta inicial: 1 ciclo avaliatório para descomissionamento.

Após negociação: Mantidas as três avaliações negativas para descomissionamento por desempenho (3 GDPs).


Intervalo intrajornada

Proposta inicial: 15 a 30 minutos com registro para todos os funcionários de seis horas.


Após negociação: Até uma hora com registro apenas para quem fizer opção acima dos 15 min.


Faltas abonadas

Proposta inicial: 2020 e 2021 – cinco faltas não conversíveis e não acumuláveis


Após negociação: Regra de transição, com conversão em pecúnia do saldo de abonos adquiridos a partir de primeiro de setembro de 2020. Os adquiridos a partir de primeiro de setembro de 2021 terão que ser usufruídos até agosto de 2022, inclusive nas férias, mas sem conversão em pecúnia ou acumulação. Os abonos já adquiridos e acumulados permanecem com as regras anteriores


Folga Justiça Eleitoral

Proposta inicial: 60 dias para gozar a folga

Após negociação: 180 dias para gozar a folga


Prazo para realização de perícia psicológica

Proposta inicial: 12 meses


Após negociação: Manutenção de 18 meses


Horário de repouso

Proposta inicial: Apenas para atividades repetitivas


Após negociação: Manutenção de atendentes de Sala de Auto Atendimento


Outros pontos negociados

  • - Mesa sobre bancos incorporados a ser conduzida a iniciada a partir de outubro, com

  • - Mesa permanente sobre Teletrabalho e Escritórios Digitais

  • - Mesa permanente sobre Saúde e Segurança


- Veja abaixo como ficam salários com 1,5% de reajuste + abono de R$ 2 mil.

- Veja abaixo como ficam VA, VR e demais verbas com a reposição da inflação (estimada em 2,74%): 


- Veja abaixo a tabela sobre a PLR: 



Fonte:
Sintraf T.O e Região e Bancários BH


 




 

Publicado em: 30/08/2020

Entidades Filiadas

FETRAFI-MG

CONTRAF

CUT Brasil

Jornal

CEF - Carta Aberta a população

Download

Links importantes